Terça, 12 de novembro de 2013 às 16:00

Crianças Prodígios

Crianças Prodígios

O Futuro

Enquanto os adultos estão lutando para se equilibrar entre o mundo real e a tecnologia que criamos, a próxima geração não vê nenhuma divisão entre esses dois mundos.

As crianças de hoje vivem em um mundo convergente, onde a tecnologia é integrada e portátil. Sem o peso do medo ou o conhecimento do risco, as crianças estão abraçando totalmente a tecnologia como uma segunda natureza e estão se tornando mais eficientes no uso da tecnologia do que seus pais – com isso, a dinâmica pai/filho está mudando.

As crianças querem criar suas próprias experiências, e agora têm mais liberdade do que nunca para experimentar novos paradigmas e formas de ser. O Institute for the Future (Instituto para o Futuro) dos EUA, divulgou um relatório intitulado “The Magic of Kids Tech” (A Magia das Crianças Tecnológicas), que examina o papel das crianças através dos temas de saúde, segurança, aprendizagem e lazer. As crianças vão ter os recursos para lidar melhor com este mundo em rápida mudança do que a atual geração adulta. Com uma maior consciência tecnologia, as crianças têm maior poder de decisão autônoma e como isso são alvos das marcas que querem promover o reconhecimento e a fidelidade desde uma idade muito precoce.

Adora Svitak, uma das crianças prodígio estudadas, falou em uma conferência TED (“Ideias que Valem a Pena Serem Compartilhadas”) em 2010, sobre o pensamento infantil e como os adultos precisam aprender com as crianças tanto quanto ensiná-las. Olhando para o mundo através dos olhos de uma criança é possível ajudar os adultos a reorientar o seu olhar e a ativamente achar novas maneiras de resolver problemas. A TED também tem uma lista de palestras para crianças curiosas.

O psicólogo Paul E. Torrance identificou a " Crise da 4a série", que é o período em que as crianças se tornam menos lúdicas e espontâneas. Confirmando estas observações, George Terras e Beth Jarman estudaram 1.600 pessoas em 1968 e descobriram que entre as idades de três e cinco anos, 98% das crianças atingiram o nível de gênio criativo, enquanto apenas 2% das pessoas com mais de 25 anos teve os mesmos resultados. Chegou-se a conclusão que são necessários pensamento mais livre e mais criatividade nas salas de aula de hoje, para assim prolongar o “pensamento infantil” mais adiante na vida, até a fase adulta, como uma maneira que poderia ajudar na resolução de problemas nessa fase.

É possível achar na internet outras crianças que estão mudando o mundo e vários estudos e maneiras de incentivarem seus filhos a serem mais criativos e a terem um pensamento mais livre. Invista no futuro deles e em novas maneiras de conhecimento.

 

Fonte: Stylesight

255

Cadastrar

VIDEO DA SEMANA

Conclua seu cadastro para comentar no site

Já possuo cadastro Continuar

Entrar com Facebook